domingo, 23 de maio de 2010

All my life I pray for someone like you.

Foi numa tarde de sábado. Não, foi antes, numa noite de quarta feira. Era fim de tarde, o sol começava a se pôr. Logo que ele me viu, veio puxar assunto, e eu logo vi que as intenções eram as mesmas. O tempo passou, e sentimento veio meio de repente, meio inesperado, meio arrebatador. Eu não evitei, fui me entregando aos poucos, ganhando segurança, e quando dei por mim, já não era eu. Na verdade era eu sim, era um eu monstruoso, capaz de qualquer coisa pra não perder o que eu tinha conquistado. Mas o esforço não valeu de nada, EU PERDI. Perdi exatamente porque não soube perder. Foi então, nessa tarde de sábado, que eu notei que eu o que eu sentia não era o mesmo que ele sentia. Ele era meu abrigo, era minha proteção do mundo. Ele defendia meus loucos ideais porque ele os tinha como forma de ver a vida. Ele era o que eu mais precisava naquele momento. Mas talvez, pra ele, era muito desgastante me proteger de tudo. Então ele desistiu. E se foi, levando com ele meus anseios, minha esperança, e uma parte do meu coração. Hoje ele disse que vive de mudanças repentinas, de aventuras. Então ele realmente pôde, por alguns instantes, ter me amado.

Um comentário:

  1. cara, amei todos teus textos! amei mesmo :)mas, esse é demais, muito bom.

    ResponderExcluir